Você esta em:
Home » Destaque » Software do INPE ganha nova versão e amplia ações de monitoramento ambiental
Publicado em: 11-07-2018

Software do INPE ganha nova versão e amplia ações de monitoramento ambiental



Para subsidiar seus projetos de monitoramento ambiental utilizando dados de sensoriamento remoto por satélites, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) desenvolveu e lançou em 2005 o software livre TerraAmazon. A aplicação oferece um vasto conjunto de algoritmos de processamento de imagens e de dados vetoriais, ferramentas de edição vetorial e gerência de bancos de dados geográficos, além de permitir a implementação de metodologias específicas para projetos com diferentes particularidades, por exemplo, que usam dados de sensores diferentes ou com diferentes propósitos.

O desenvolvimento do software é resultado de parceria entre a Divisão de Processamento de Imagens do INPE e a Fundação de Ciência, Aplicações e Tecnologias Espaciais (Funcate). Atualmente, o TerraAmazon é utilizado em projetos como PRODES – Monitoramento da Floresta Amazônia Brasileira por SatéliteTerraClass AmazôniaSistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Quase Real – DETER-B, nos projetos de monitoramento do desmatamento no Cerrado e no Projeto Internacional de Capacitação em Monitoramento de Florestas Tropicais (Capacitree).

No âmbito do Projeto Monitoramento Ambiental por Satélites no Bioma Amazônia (MSA), financiado pelo Fundo Amazônia e executado pelo INPE em parceria com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), uma atividade buscou acompanhar as principais tendências da área de sensoriamento remoto e monitoramento ambiental, visando o desenvolvimento de novas tecnologias. O trabalho de “Aprimoramento do software TerraAmazon”, foi coordenado pela pesquisadora Lubia Vinhas.

“Foi feito um amplo trabalho de atualização tecnológica do TerraAmazon, com a intenção de oferecer uma ferramenta mais robusta para tratar o volume e a variedade de dados de sensoriamento remoto relevantes para os projetos de monitoramento ambiental do INPE, além de melhorar a sua usabilidade para o usuário final”, diz Vinhas.

A aplicação teve aperfeiçoado seu processo de desenvolvimento, documentação e implantação em ambiente de produção, seja no INPE campus principal, seja no Centro Regional da Amazônia (CRA/INPE), seja na Funcate ou em qualquer outra organização interessada em utilizar o TerraAmazon. “Essas atividades foram organizadas, durante o tempo de execução do Projeto MSA, em três novas versões majoritárias do TerraAmazon, rotuladas de 5.0, 6.0 e 7.0”, complementa o tecnologista Gilberto Ribeiro de Queiroz, que liderou as atividades do time de desenvolvedores trabalhando no TerraAmazon.

versão majoritária corrente, 7.0, permite processar com eficiência conjuntos de imagens armazenadas em repositórios locais, bem como distribuídos em diferentes instituições, e compartilhadas através de serviços web geográficos padrão. “Esse mesmo conceito é aplicado aos resultados do monitoramento, os mapas informações tabulares, que podem ser compartilhados sem esforço no ambiente web”, ressalta Vinhas.

No período de execução do Projeto MSA, também se investiu em novas funcionalidades para o acompanhamento constante das atividades de mapeamento utilizando o TerraAmazon no ambiente web. “A aplicação batizada de TerraAmazon Monitor, permite aos gestores técnicos dos projetos de mapeamento, acompanharem usando um navegador web o andamento dos projetos. Diferentes parâmetros podem ser monitorados, como por exemplo extensão da área mapeada, o tempo de trabalho e até mesmo o acompanhamento individual dos membros equipe de um determinado projeto”, destaca a coordenadora.

Os algoritmos de processamento de imagens disponíveis na nova geração do TerraAmazon, são oriundos das versões mais recentes da biblioteca de imagens TerraLib – também desenvolvida pelo INPE, e utilizam as técnicas de programação de alto desempenho, usando as capacidades de multiprocessadores disponíveis nos computadores atuais. Isso se reflete na robustez do TerraAmazon de processar uma massa grande de imagens, ou conjuntos de polígonos, em um tempo aceitável no cotidiano de projetos que monitoram grandes extensões geográficas, e utilizando a maior frequência temporal com que as imagens são geradas.

Desde março o DETER-B utiliza a versão 7.0 do TerraAmazon. O avanço tecnológico permite aos técnicos do projeto, por exemplo, a realização de todo processo de análise de imagens de satélite no próprio software, ou seja, sem a necessidade de outras aplicações para a preparação das imagens usadas no monitoramento, o que agiliza o processo e otimiza o trabalho.

O TerraAmazon continua livre de licença e sem restrições de uso para toda a comunidade interessada. Suas versões são geradas para os sistemas Linux, Windows e Mac OS.

O Projeto Monitoramento Ambiental por Satélites no Bioma Amazônia (MSA), teve início em 2014 e ocorreu para apoiar o desenvolvimento de estudos sobre usos e cobertura da terra no bioma Amazônia, bem como a ampliação e o aprimoramento do monitoramento ambiental por satélites realizado pelo INPE. Foi executado pelo Instituto através de sua instituição de apoio, a Fundação de Ciência, Aplicações e Tecnologias Espaciais (Funcate) e o BNDES, com recursos do Fundo Amazônia. Nos dias 13 e 14 de agosto, no INPE em São José dos Campos ocorre o seminário de encerramento do projeto, onde serão apresentados e discutidos os resultados obtidos durante sua execução.

Leia também:

INPE aprimora sistema de monitoramento de queimadas na Amazônia

INPE investiga processos que caracterizam o desmatamento na Amazônia