Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Home > Destaque > Decisões sobre o uso da terra é tema de tese de Doutorado no CCST-INPE
Notícia

Decisões sobre o uso da terra é tema de tese de Doutorado no CCST-INPE

Decisões sobre o uso da terra: modelagem e cenários para a fronteira agrícola entre Pará e Mato Grosso é tema de tese de Doutorado no CCST

Entender como produtores rurais decidem o que praticar em suas propriedades em diferentes contextos de mercado ou obrigação ambiental foi o objetivo principal da tese defendida por Nathália Cristina Costa do Nascimento no dia 19/04, no Centro de Ciência do Sistema Terrestre (CCST) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). Como parte do trabalho, que teve a orientação dos pesquisadores Jean Ometto e Jan Börner, a pesquisadora desenvolveu um jogo de tabuleiro para entender as estratégias de como essas decisões são tomadas por diferentes grupos de produtores rurais no norte do Mato Grosso e sudoeste da Amazônia.

Posteriormente, essas informações ajudaram na construção de um modelo lógico, e foram complementadas com dados de acessibilidade, aptidão agrícola e histórico de uso da terra e políticas públicas de impacto na região. Esse modelo lógico e matemático foi construído para representar a dinâmica regional, mapas calibrados com base e dados históricos que confirmam a importância dos mecanismos de mercado e de políticas para a dinâmica de uso da terra na região, e cenários para o futuro, onde diferentes combinações entre incentivos de mercado e de governança resultam em diferentes paisagens futuras para a região.

A pesquisa traz aspectos inovadores, como o método experimental para identificação de decisões de uso da terra na Amazônia; um modelo otimizado baseado em Redes Bayesianas para integrar dados qualitativos a um modelo matemático; e cenários de governança onde a importância do fortalecimento dos mecanismos de governança ambiental na Amazônia são debatidos.

Os resultados do trabalho estão publicados em três artigos: O primeiro já foi publicado pela revista Forests (https://www.mdpi.com/1999-4907/10/6/464) e os outros dois estão em fase de revisão.

Por: Ana Paula Soares CCST/INPE e Giovana Colela CCST/INPE