Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Home > noticias > Implementação de índice de perigo de incêndios florestais na área do INPE em Cachoeira Paulista
Notícia

Implementação de índice de perigo de incêndios florestais na área do INPE em Cachoeira Paulista

Na área do INPE em Cachoeira Paulista (10,5 km2) os incêndios florestais são uma questão recorrente e preocupante. Utilizar um índice de perigo de incêndios florestais colabora no planejamento e na previsão das condições de risco, possibilitando a adoção de medidas preventivas mais eficazes e econômicas para proteção das pessoas, do patrimônio material e dos recursos naturais, fauna e flora, da área. Os índices de perigo de incêndios florestais são números que refletem antecipadamente a possibilidade de ocorrer um incêndio, assim como a facilidade de se propagar, de acordo com as condições atmosféricas do dia.

Em abril de 2019 foi implementado na área do INPE de Cachoeira Paulista o índice de perigo de incêndios florestais, uma iniciativa de desenvolvimento do Laboratório de Sensores de Eletricidade Atmosférica e Instrumentação Ambiental do CCST – Centro de Ciência do Sistema Terrestre –  em Cachoeira Paulista, liderado pelo Dr. Flávio de Carvalho Magina, tecnologista do Centro. A implementação tem o apoio da CIPA-CP (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes) e da administração da Unidade Regional de Cachoeira Paulista (URURC), que atuam como usuários de campo do índice, reportando as ocorrências de eventuais incêndios na área. O índice implementado, de geração local e simplificada, é uma ferramenta complementar a outros sistemas de monitoramento de incêndios como o Sistema de Monitoramento de Queimadas e Incêndios por Satélites em Tempo Quase-Real, desenvolvido e operado pelo Programa Queimadas do INPE.

O índice de perigo de incêndios florestais é gerado a partir de dados meteorológicos coletados por uma estação meteorológica automática instalada próximo ao prédio do CCST, na área do INPE em Cachoeira Paulista (Figura 1). Para o cálculo do índice foi adotada a Fórmula de Monte Alegre (FMA), desenvolvida no Brasil pelo pesquisador Ronaldo Soares da UFPR, que utiliza as medições de umidade relativa do ar, velocidade do vento e o número de dias sem chuva. Estas medições são realizadas diariamente às 13 horas (horário local) pela estação meteorológica automática. O índice FMA é acumulativo e aumenta com o número de dias sem chuva e, dependendo do acumulado de precipitação nas últimas 24 horas, um percentual é abatido deste e, no caso de precipitação acumulada superior a 12,9 mm, o índice diário é anulado e novo cálculo do FMA é iniciado no dia seguinte. Para utilização prática, o índice FMA é classificado em 5 níveis de perigo: 0 – Mínimo, 1 – Baixo, 2 – Médio, 3 – Alto e 4 – Crítico.

Para o cálculo automático e disseminação aos usuários do índice FMA foram desenvolvidas rotinas de software específicas as quais foram incorporadas ao sistema de coleta de dados da estação meteorológica automática. Após o cálculo diário do índice FMA e seu respectivo nível de perigo classificado, um e-mail automático é gerado e enviado pela estação meteorológica diretamente ao grupo de usuários cadastrados para receber o índice de perigo de incêndios florestais. Dentre os usuários, se encontram os responsáveis pela vigilância do INPE-CP, membros da CIPA-CP, bem como servidores e colaboradores dos diversos prédios da área do INPE-CP. Além do e-mail automático é disponibilizada uma página web para visualização gráfica do índice FMA e de outros parâmetros meteorológicos coletados pela estação meteorológica automática: http://fieldmill.net/images/CST_MET.png

Flávio de Carvalho Magina, Dr.

Tecnologista – INPE/CCST

Figura 1 – Estação Meteorológica Automática no INPE/CCST – Cachoeira Paulista